Gosto muito do por-do-sol. Vamos ver um?”

– Eu desejava ver um pôr de sol… Fazei-me esse favor. Ordenai ao sol que se ponha…
@OPeqPrincipe

 

Foto: Juliane Oliveira

 

 

Anúncios

Quer casar?

Mas tem que ser urgente!

Valdinei provavelmente é o homem mais corajoso que eu já ouvi falar em Juruti (ou doido). Cansado de procurar pela mulher da vida dele, resolveu ser encontrado. E tudo pra ele tem de ser resolvido de maneira muito simples. Quer saber como? Foto abaixo.

Foto feita em Juruti-PA

Parabéns pra Marlena por conseguir a imagem. Desconfio do interesse dela… acho que queria mesmo era o telefone do tal Valdinei.

 

**forma que encontrei de dizer que o blog está voltando. =)

Parto

Tinha muita gente junta e o carro da Sec. Municipal de Saude parado na frente do hospital. Enquanto eu passava do lado do carro a enfermeira abriu a porta e saiu de dentro com um recem-nascido nos braços enrolado em um tecido de aparencia macia e azul. Um olhar mais profundo pro interior do carro captou uma mulher de seus 30 anos de pernas abertas e ensanguentada. O parto tinha sido ali (dentro do carro e na  frente do hospital) e a multidão tinha acompanhado e se emocionado junto daquela mulher. Parei de caminhar e me tornei parte da multidão.

Registro: Cidade de Juruti (PA), as 17: 40, do dia 19 de março de 2010.

“Vivam as tartaruguinhas!”

Não… esse não é um típico ‘Viva as Tartarugas’. É sim um pedido para que as deixem viver. E como prova disso existem alguns projetos desenvolvidos na Amazônia para que essa espécie tão nossa passa continuar existindo na natureza e não apenas na nossa memória.

Conheci de perto um deles (o Projeto Quelônios da Amazônia) no final de semana passado, na Comunidade Ilha do Chaves, há 1h 40min de barco saindo do porto de Juruti. A comunidade toda é totalmente envolvida e o tema é discutido até em sala de aula. Isso não é pra soar como uma surpresa – porque é também na escola que devem ser ensinados temas importantes para a formação do ser humano – e o convívio harmonico com a fauna e flora é um deles. Principalmente pra quem sobrevive dela , como é o caso da maior parte de comunidades do interior da Amazônia – que muitas vezes chegam a ser confundidos com bichos do mato e esquecidos pelo poder publico.

Voltando às tartaruguinhas:

Em Juruti (PA) o Projeto Quelônios da Amazônia é desenvolvido pelo Ibama (mas até recentemente quem estava a frente do projeto era o ICMbio) em parceria com a Alcoa, Prefeitura de Juruti e Sec. de Meio Ambiente. Quem coordena é a simpatica e dinâmica pedagoga e consultora Cássia Boaventura. A equipe também é formada pelos biólogos Chel Cunha e Kemerson Augusto

De acordo com o Mestre em Ciências do Ambiente e Especialista em Direito Ambiental Giovanni Salera Júnior, o “Projeto Quelônios da Amazônia” já protegeu cerca de 40 milhões de filhotes das diferentes espécies de quelônios, principalmente da tartaruga-da-amazônia, do tracajá e do iaçá, proporcionando o repovoamento e a recuperação das populações naturais dessas espécies.

No final de semana passado foram devolvidas ao Rio Amazonas mais de 3. 500 tartaruguinhas. Foram 3 mil da Ilha do Chaves e quase 500 da Comunidade Santa Terezinha (que fica bem próximo a cidade de Juruti).

Esse final de semana tem mais.

Estaremos indo hoje a noite para a Comunidade do Araça Preto para a soltura de  330 quelônios de duas espécies diferentes ( tracajá e pitiu) que será feito no final da tarde de sabado. O acesso à comunidade é feito de barco (40min) ou carro (50 min).

Até lá!

Mulher

 Hoje foi um dia da mulher especial. A começar que em Juruti  (PA) é feriado municipal, mesmo assim eu, como mulher ‘trabalhadeira’ que sou, fui trabalhar e levei comigo a Rutinha (colega de trampo). Depois recebi um beijo na mão e abraço de um amigo pela passagem do meu dia (nem lembro quanto tempo faz que alguém beijou a minha mão antes de hoje). Um gesto muito legal e aproveito pra dizer: homens! façam isso de vez em quando. nós adoramos.

Aproveitei o dia e resolvi vir em Santarém resolver umas coisas e dá uma abraço no meu pai (fazia tempo que não o via) e na mamae. E já chegando em Santarém fui surpreendida com um rapazinho de seus poucos mais de 1m e 60 entregando flores vermelhas no porto. Como eu fui a primeira a descer da lancha não entendi muito aquela flor ali na minha frente e o carinha sorriso e dizendo: feliz dia da mulher!

*já ia esquecendo de dizer.. ganhei um chocolate na faculdade pela metade.. né Rafael Ferreira??

obs.: flores vermelhas combinam com minha cara envergonhada e com a minha mochila.

Fonte: Blog Canção Nova

Modo de vida

Selecionei algumas fotos que caracterizam bem os lugares que estamos visitando com o projeto Rede Juruti de Comunicação Comunitária. Abaixo fotos feitas pela Ruth Amaral (coleguinha de trabalho e jurutiense) na comunidade de Aracá (pertim!). Não é só por se tratar de comunidades que postei elas aqui, mas simplesmente por retratarem um modo de vida já quase esquecido ou mesmo abandonado em busca de vida melhor nos grandes centros.

Fim de tarde e um mergulho pra celebrar a vida!

=*