Mapa das Chuvas no Google

O Googles Maps disponibilizou um mapa colaborativo com pontinhos das cidades do Norte e Nordeste do país atingidas pela chuva.  De acordo com a Secretaria Nacional de Defesa Civil, planejamento urbano, assoreamentos e descaso político,  são alguns dos fatores que contribuem para as enchentes.  O mapa colaborativo foi criado para que pessoas de todo o Brasil possam divulgar dados, fotos e vídeos das áreas afetadas. É uma forma alternativa de organização das informações e foi inspirado nos seguintes mapeamentos:
Maranhão: mapa das enchentes: http://migre.me/VyQ
Enchentes no Ceará: http://migre.me/10mi

mapaenchente

Os dados atuais são os seguintes:

223.085 pessoas afetadas;
254.340 desalojados;
131.538 desabrigados;
53 mortes.
407 municípios atingidos em 13 Estados

Clique aqui pra participar do mapa colaborativo também.

Anúncios

Ribeirinhos recebem cestas básicas

A chuva anda dando uma trégua mas quem pensa que é só parar de cair água do céu que os problemas serão solucionados está muito enganado. Muitas famílias continuam desabrigadas e precisando de auxílio.

Durante o final de semana e no início dessa semana a prefeitura visitou comunidades ribeirinhas entregando cestas básicas pra população… eis ai um registro desse momento.

Enchente em Santarém e comunidades ribeirinhas

Enquanto pessoas fazem suas preces pra que São Pedro dê uma tréqua e a ausência da chuva devolva ao povo o direito de voltar pra casa e recomeçar a vida, a água do Tapajós invade a praça da Matriz e faz da diocese de Santarém uma espécie de pintura. Um quadro triste e real da ação da natureza sobre a ação do homem. Ou seria a consequencia da ação do homem sobre a natureza?

Igreja Matriz de Santarém

Principais consequências da enchente no Oeste do Pará

• Nas 13 cidades assistidas pela Defesa Civil do Baixo Amazonas, um total de 130 mil pessoas foram afetadas pela enchente. Dessas, 18.869 estão desalojadas. Desde o início do período chuvoso foram registradas nove mortes, sendo sete crianças e dois idosos.
• Em Santarém mais de 40 mil foram afetados direta ou indiretamente.

De um lado o Rio Tapajós e de outro a Avenida Tapajós

De um lado o Rio Tapajós e de outro a Avenida Tapajós

• Estima-se que nos  municípios de Alenquer e Monte Alegre  10 mil pessoas tenham sido atingidas pela enchente.
• De acordo com o relatório da Defesa Civil do Estado 32 pessoas estão desabrigadas, 363 foram desalojadas e 4.264 pessoas foram afetadas pela enchente, em Juruti.
• Com a cheia dos rios também aumenta o número de registro de acidentes com animais peçonhentos nesses municípios mais afastados. São em maioria ferradas de arraia e picadas de cobras. Neste último sábado, o Hospital Municipal de Prainha registrou em menos de 12 horas, 13 pacientes picados por surucucu e doze ferrados por arraias.
• A Avenida Tapajós no centro da cidade de Santarém está praticamente toda alagada e já foi interditada em vários pontos. Os ônibus que utilizavam a rua como acesso passaram a percorrer outros trajetos. Alguns comerciantes foram obrigados a fechar lojas em função do alagamento.
Em Alter-do-Chão não é diferente. O rio invadiu as ruas e atingiu casas e hotéis da vila.
• De acordo com o levantamento parcial do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), 50% de toda a lavoura do Estado já foi perdida em virtude do alto nível do rio.
O comércio varejista de Alenquer e Monte Alegre está resumido a barracas improvisadas nos pontos ainda não invadidos pela água.
• Em Almeirim, o comércio fechou as portas e a água já ultrapassa o cais de arrimo do município. O trapiche e a orla da cidade já foram interditados.

AÇÕES REALIZADAS:

• Pessoas que residem em locais de risco continuam sendo remanejadas para casas alugadas pela prefeitura municipal, em Santarém.
• Em Juruti, famílias atingidas pela enchente vão receber madeira para levantar os assoalhos de suas casas. Ao todo, são mais 56 mil metros cúbicos de madeira que serão doadas apenas durante esta semana. A Associação Comunitária da Região de Juruti Velho (Acorjuve) e para a Associação dos Produtores Rurais do Assentamento do Socó (Apras) estão entre os beneficiados.
• O Governo do Estado disponibilizará para Juruti redes, cobertores, mosqueteiros, toalhas, travesseiros e cestas básicas, que deverão chegar no Município até o final desta semana.

 Com informações da Caritas Prelatícia de Óbidos

Ainda bem que alagou

Quando vejo as reportagens a respeito da cheia em Santarém essa é a primeira frase que se forma na minha memória. Lembro das reportagens do ano passado nessa mesma época. Repórteres e apresentadores esperavam pela maior cheia da cidade, mas ela não veio. Tiveram que se conformar com uns alagamentos aqui e outros ali. Mas esse ano não. Parece que São Pedro atendeu as preces e veio chuva. E quanta chuva.

Chuvas que ganharam as primeiras páginas dos jornais. Casas abandonadas pelos moradores em busca de porto seguro. Ruas e avenidas com o trânsito fechado devido os alagamentos. Defesa civil de um lado para o outro pra atender os chamados de urgência. Gente fazendo campanha em prol dos desabrigados pela cheia.

Parabéns…vocês já tem a grande cheia que não veio em 2008. Podem comemorar, vender pautas e expor ao povo aquilo que não puderam no ano passado.

Enchente em Santarém (8)

Foto: Adson Paranatinga

Sobre as luzes noturnas de Santarém

um ensaio fotográfico por Emano Loureiro

A enchente de Santarém tem surpreendido não só pelas ruas alagadas mas também pelo excesso de fotógrafos que estavam até então escondidos pelos quatro cantos da cidade e aos poucos estão se revelando pelos blogs e orkuts da vida. Ir ao centro e encontrar com o povo tirando foto daqui e d’acolá é a coisa mais normal dos derradeiros dias – até mais normal do que ter que andar sobre as pontes de madeira. É claro que esse não é o caso do Emano Loureiro – cineasta e fotógrado por excelência – mas de vez em quando ele nos brinca com fotos ‘impressionantes’ da cheia histórica de Stm.

Vejam alguma feitas na noite passada

 

Comentário do leitor

A leitora Catiane , de Altamira,  deixou seu comentário aqui no post Enchente made in Santarém. Há alguns dias atrás ela também enfrentou dificuldades com as fortes chuvas que caem diariamente no Norte do País.

Me sensibilizo quando vejo uma cena de alagamento, sou de Altamira e já passei por isso, sei o quanto é dificil enfrentar uma situação como essa. Só posso dizer que o mais importante é a vida e que todo o resto pode ser reconstruido.
Minha solidariedade aos moradores atingidos…..