‘O mundo quer ser herói’

A cena de um filme me fez refletir um pouco sobre essa frase e ainda escrever sobre o que eu penso a esse respeito.

Mas antes de entrar no mérito da questão é preciso saber por que a frase me chamou a atenção. A cena que eu vi aconteceu dentro de um hospital. Uma jovem residente precisou executar um processo cirúrgico do qual ela não tinha nenhuma noção. Ela deixou bem claro que poderia matar a pessoa a sua frente. A equipe médica não deu a mínina e disse que ela deveria tirar o glóbulo que assolava o paciente e ainda pressionar o coração para que ele voltasse a pulsar. Na garra e coragem ela obedeceu as ordens. Salvou o desconhecido na sua frente. Sabe aquela sensação de alívio e desespero que sentimos quando algo que tínhamos certeza que iria dar errado, por milagre dar certo. Pois é. Foi isso que a residente sentiu. Ainda com o coração na mão (expressão para desespero) ela saiu da sala. No meio do caminho encontrou com um outro residente e contou do feito. Ele, ao invés de apoiar ou mesmo confortar a amiga, virou pra ela e disse: você sempre querendo ser a herói’.

Foi ai que a minha ficha caiu. A cena, com outros personagens e outro cenário, já deve ter acontecido também com você. Estou mentindo? Quantas vezes nos sacrificamos para salvar vidas e aquela pessoa que ficou de braços cruzados vendo o circo pegar fogo olha em nossos olhos e diz algo parecido. Aquela frase seria o suficiente para apagar o fogo do circo e ainda destruir sonhos.

Ser herói é fácil. Ser super-herói é o difícil.

Eis a pergunta: por que ser herói é fácil? Dou-lhe uma, dou-lhe duas e dou-lhe três. Se ninguém respondeu, deixa que eu respondo: o tempo inteiro os noticiários estão mostrando pessoas que precisam de auxílio, comida, roupas, casa para morar, estudos, água. O herói pega o telefone, liga para um disque-ajuda de alguma coisa e pronto. Dorme sossegado.

Mas hoje em dia é preciso mais que isso.

Por trás de uma grande tragédia existe um grande problema a espera de uma solução, o super-herói tem ou é a solução. Para ser super-herói basta ser amigo, companheiro e agente de transformação. Um dia publiquei um post de um programa do Canal Futura ia falar a respeito de pessoas que fazem do Brasil um lugar melhor para se viver. Bingo! Esses são super-heróis. Pessoas que se prestam a auxiliar os outros. Não pela glória do feito, mas pelo simples de ver pronto. Não pensem que essas pessoas dormem tranqüilas a noite, na maioria das vezes elas sofrem de insônia. Para ser super-herói não é preciso vender o que tem, pegar toda a grana da poupança, comprar umas roupas largas, colocar uma mochila na costa e migrar para a África. Basta arrumar uma maneira boa de dizer para aquele seu melhor amigo que ele está cometendo uma grande burrada, quando ele realmente está pisando na bola. Na hora ele pode até achar que não, mas um dia, sem querer vai olhar pro lado, dar um tapinha na sua costa e dizer claro e manso ‘você salvou a minha vida’.

Somos nós que decidimos quem devemos ser, heróis ou super-heróis.

2 comentários sobre “‘O mundo quer ser herói’

  1. cleiton pessoa disse:

    Não sei em que Hall me incluir, mas lhe aviso que esqueceu das outras opções. Não tem de vilão, ou passivo? Infelizmente a vida real é pior que novela, sempre tem alguem querendo afundar alguem; Não com os desejos pessoais e vingativos que assolam nossas novelas porque ninguem na vida real não tem tempo para disputas pessoais a fundo.

    Esse lance de herói, de mudar o mundo, ou mesmo do super-herói é bem relativo não acha? Muito tempo atrás, pensando com meus gnomos de jardim, eu cheguei a uma conclusão que se adptava a quase tudo que eu pensava e dava respostas aos questionamentos sobre a ordem dos acontecimentos diários ou inexplicáveis, e claro, a resposta não é Deus. Deus não responde, te faz achar que tudo é porque ele quis, mas isso é uma longa história cheia de controvérsias. O que quero realmente dizer, é que para tudo na vida existe o positivo e o negativo, como a teoria do caos e da ordem, sem caos nao existe ordem, os dois se anulam e criam um equilíbrio.

    Vejo o mundo falando de paz, qualidade de vida, amor, quando na realidade são sentimentos tao subjetivos e relativos que perdem o sentido quando questionados a fundo. Paz em quë? pra quë? aonde?como? Se houvesse paz o policial perderia seu emprego?o Juiz tb? nao teríamos advogados porque ninguem mentiria e todos entrariam em acordo? vingaria a honestidade coletiva? E o desenrolar da complexidade acaba matando todos esses processos, e porque? Porque fomos programados para viver, custe o que custar. Fomos programados para preservar a nossa espécie, prevalecendo sempre o mais forte, o que pode ser relativo nos dias atuais.

    Então, eu acho que nao existem heróis ou super herois, deixo estes nomes unicamente para a ficção. Acho que existem pessoas boas, que talvez façam boas açoes, e que talvez sejam tão peversas por tras do retrato da identidade que teríamso vergona de olhar no rosto dela, mas o resto, o resto so depende de vocë, vc é aquilo que vc constrói.

    Beijos amiga…
    Boa noite. Tava meio inspirado….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s