Rede Globo, Política, IIRSA e interesses economicos


Lembram daquelas lindas praias de água doce reproduzidas ontem no episódio ‘A Selvagem de Santarém’ da Série ‘As Brasileiras’ da Globo? Pois é, estão ameaçadas pela contrução de um Complexo Hidrelétrico no Rio Tapajós que está inserido na Iniciativa para a Integração da Infraestrutura Regional Sul-Americana (IIRSA) – IIRSA. O megalomaniaco projeto surgiu efetivamente a partir de uma reunião dos doze Chefes de Estado, ocorrida em agosto de 2000, na cidade de Brasília. Nesta ocasião, aprovou-se a realização de ações conjuntas para se impulsionar o processo de integração política, econômica e social da América do Sul, incluindo a modernização da infraestrutura regional e ações específicas para estimular a integração e o desenvolvimento de sub-regiões isoladas.

A iniciativa tem por finalidade a promoção do “desenvolvimento da infraestrutura de transporte, energia e comunicações, de forma sustentável e eqüitativa, através da integração física destes países”. Ou seja: capitalismo!

Ao todo, o IIRSA tem uma carteira composta por 514 projetos com um custo total de, aproximadamente, US$ 86 bilhões. E muitos deles já estão em execução.

Não. Mas não se preocupem porque a Globo não vai mostrar isso pra voces nas suas novelas, jornais e nem miniséries escrotas como essa ‘As Brasileiras’. Nem ela e nem seu aliado, o governo brasileiro. Juntos e cada vez mais fortes, essa dupla aliena a sociedade brasileira.

Att,

Juliane Oliveira, santarena, jornalista e desacreditada da política.

Um comentário sobre “Rede Globo, Política, IIRSA e interesses economicos

  1. Ojr Bentes disse:

    Quem não sabe o que é uma piriguete, pequena piranha, em Santarém!? Foi isso o que o episódio mostrou, ou vcs não viram, o Furtado se referindo a ela: “não, não é uma índia, é uma piranha”, e depois ela mordendo ele dentro da água, depois a cobra tatuada, estigmatizada aos 12 anos, quando foi “furada”. O que ela descobriu aos 12 anos!? A cobra.
    O episódio só mostrou, na linguagem do cinema, uma estrutura muito arcaica que existe na mentalidade de muitas santarenas. “guerreiras” amazonas, “incandiabas”.
    Em miúdos: A selvagem de Santarém: piranha, ninfomaníaca, infectado com doenças sexualmente transmissíveis, dissimulada.
    O que é o Sairé!? Encenação da lenda do boto, pedólifo sedutor de pré-adolescentes, logo o que é o sairé!?
    … e dançou a noite inteira com uma bela cunhantã…
    O que uma cunhantã!? diminutivo de adolescente, jovem, melhor dizendo, criança ou pré-adolescente.

    Bem que Santarém poderia ter um curso de Comunicação.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s