Moço


Os olhares se cruzaram em algum momento. Ele não hesitou e se aproximou. Ela fingiu ignorar que os dois corpos agora estavam mais juntos que antes.

O moço acendeu o cigarro e deixou que tímido fogo consumisse metade do fumo enquanto a vista adormecia diante da bela moça.Tentando juntar palavras que iam de um lado para o outro entre as linhas de Saramago, ela continuava ignorando que a presença do jovem moço exercia sobre ela uma sensação de nervosismo, tentação e angustia. Sentiu-se novamente desejada.

O cigarro acabou. As palavras também. Restavam apenas olhares e mãos confusas. Ele não disse nada. Ela se quer quis perguntar. Os dois corpos já não causavam tanta estranheza um ao outro e os corações também esqueceram das brigas de antes assim que as mãos se encontraram.

Um comentário sobre “Moço

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s