Desclassificada!


Um texto sobre o resultado da VII Jornada Científica do Iespes (Santarém – PA)

Quando vi o resultado dos resumos aprovados para a Jornada Cientifica na derradeira sexta-feira cheguei a cogitar a possibilidade de uma visita à sala da coordenação de pósgraduação do Iespes e saber mais sobre o processo de seleção dos tais resumos. Demorei a entender por que um estudo sobre os “BUBALINOS VACINADOS CONTRA BRUCELOSE NO OESTE DO PARÁ NO PERIODO DE ABRIL DE 2007 A DEZEMBRO DE 2008”, ou mesmo a “AUTOESTIMA DOS IDOSOS DO ASILO SÃO VICENTE DE PAULO” são mais importantes do que a minha pesquisa sobre a ‘Cobertura dos casos de violência envolvendo crianças e adolescentes nos jornais impressos de Santarém’.

É provavel que eu estivesse vivendo algum ataque de egoismo à beira de findar o curso de jornalismo e ainda não ter tido nenhuma publicação cientifica divulgada em lugar nenhum. Porque com certeza “AS CAUSAS DA EVASÃO DOS HIPERTENSOS E DIABÉTICOS NO PROGRAMA HIPERDIA DO BAIRRO DA ESPERANÇA” fossem mais importantes do que saber como a midia impressa santarena trata os casos em que meninas e meninos aparecem como vitimas de violencia. Tenho certeza que eles (os hipertensos e diabédicos) não suportavam mais palestras sobre insulinas e o mais novo adoçante disponivel no mercado e por isso ‘evadiram’ do local.

Bem que a meu resumo podia ocupar um lugar ali ao lado da pesquisa sobre ” A FORMAÇÃO DO CÂNON DO NOVO TESTAMENTO NOS TRÊS PRIMEIROS SÉCULOS DA ERA CRISTÔ, “A HERMENÊUTICA TEOLÓGICA E SUAS ANÁLISES PARA A COMPREENSÃO DOS TEXTOS SAGRADOS” ou mesmo próximo “A ORATÓRIA SACRA NAS IGREJAS EVANGÉLICAS”. Pensando bem, talvez fosse perigo e até profano deixar crianças e adolescentes (publico-alvo da minha pesquisa) tão próximo a essas coisas da Igreja Católica. Pedofilia ainda me assusta.

Até entendo que outras pesquisas são fundamentais pra vida da gente. Por exemplo. Antes de ler o resultado dos resumos eu não sabia de ética no uso da água. Agora eu sei porque alguém foi lá e fez uma pesquisa “POR UMA ÉTICA DA ÁGUA: OPLURALISMO JURÍDICO E O REGULAMENTO INSTITUÍDO POR USUÁRIOS DE UM MICROSSISTEMA COMUNITÁRIO EM SANTARÉM /PA”. Eu agora eu sei também que tem muita gente preocupada com a “VELOCIDADE DE INFILTRAÇÃO DA ÁGUA EM DIFERENTES CONDIÇÕES DE SOLOS ÀS MARGENS DO IGARAPÉ DO IRURAMA”. Por acaso alguém sabe se elas ultrapassaram o limite de velocidade?

Além desses estudos que somam muita cultura inutil nas nossas vidas, ainda tem aqueles que contribuem pra nossa qualidade fisica e existencial nesse planeta chamado Terra. Imagina que eu nunca tinham pensado na “A INFLUÊNCIA DA CAMINHADA PARA A QUALIDADE DE VIDA” (todo mundo sabe disso- né Foresti?) e muito menos sobre a “AVALIAÇÃO DA INFLUENCIA DO PADRÃO MOTOR DE JOGADORAS DE BASQUETEBOL NO FUNDAMENTO ARREMESSO”. Eles quase arremessaram pra longe o meu bom humor com esse estudo e reforço ainda que Basquete não é um esporte muito comum nas bandas do Pará – a gente prefere ‘nado borboleta’ no Rio Tapajós.

Eles foram mais longe e fizeram ” UM ESTUDO SOBRE OS CONFLITOS EXISTENTES NAS EMPRESAS FAMILIARES DE SANTARÉM”, passando pela “vaga ideia d”A IMPORTÃNCIA DAS CONSULTORAS DE VENDAS DA EMPRESA FIRN JÓIAS “MATRIZ” NA VISÃO DOS COLABORADORES” e ainda quiseram saber o “PERFIL PSICOLÓGICO E HUMANÍSTICO DO INDIVÍDUO FRENTE AO PROCEDIMENTO DE DOAÇÃO DE SANGUE EM SANTARÉM”.

Resumos dos resumos: a gente sabe que familias entram em conflitos a todos instante. Meu pai por exemplo não gosta do pão quentinho – já o resto da familia aprova e nem por isso fizeram um estudo de caso sobre isso. Ah não, a minha família não tem uma empresa, mas se tivesse, a gente não ia querer ser ‘pesquisado’ mesmo, oras. E outra, essa negócio das consultoras de vendas é importante mesmo. Afinal, as jóias não ‘se vendem’ por conta própria. Se assim fosse, o cara que fez esse estudo estava ferrado e o dono da loja satisfeito porque não ia precisar pagar salários e nem convencer os ‘colaboradores’ a responder aos questionários. E o perfil psicologico e humanistico dos doadores de sangue é o seguinte: a gente doa porque é legal e um dia pode precisar ( apesar de nunca querer que isso aconteça).

Abaixo, alguns resumos que merecem um grande HAN? Não acredito.

“ANÁLISE DE MICRONÚCLEO EM CÉLULAS DE REVESTIMENTO DA CÉRVIX UTERINA PARA AVALIAÇÃO DE ATIPIAS CELULARES”, “ANÁLISE CITOGENÉTICA DE CÉLULAS EPITELIAIS CERVICAIS COMO FERRAMENTA NO RASTREAMENTO DE ATIPIAS CELULARES PRECURSORAS DO CÂNCER DE COLO UTERINO”, “UM ESTUDO DAS FUNÇÕES DISCURSIVAS DAS CLÁUSULAS HIPOTÁTICAS ADVERBIAIS TEMPORARIAS”, “ATIPIA CELULAR EM CÉLULAS ESFOLIATIVAS DO EPITÉLIO DE REVESTIMENTO DO COLO UTERINO DE PACIENTES ASSINTOMÁTICAS”. Tente ler tudo novamente e em voz alta: vão achar que está xingando a mãe de algum juiz.

E pra finalizar, um dos meus preferidos: “NÃO DECLARES QUE AS ESTRELAS ESTÃO MORTAS SÓ PORQUE O CÉU ESTÁ NUBLADO: O OLHAR SOBRE O LAZER DE ADOLESCENTES INSTITUCIONALIZADOS EM SANTARÉM“.

Não tenho do que reclamar. Melhor desclassificado do que mal acompanhada. Saiba quais foram os resumos_aceitos na Jornada Cientifica e aqui o meu resumo, o desclassificado ( RESUMO JORNADA CIENTIFICA IESPES – MAIO 2010 ).

17 comentários sobre “Desclassificada!

  1. THIAGO FORESTI disse:

    Seneca dizia que na aurora do fim do império romano os acadêmicos do império só estudavam coisas insignificantes. Normal pra o fim de uma era…

  2. Marcel Nicolau disse:

    Oi Ju…. legal seu artigo mais tenho idéia do porque você (seu resumo) foi desclassificada.. você não poderia e acho até que não pode apresentar um Resumo de Iniciação Científica sem um orientador, por isso foi desclassificado assim como outros Resumos e até onde eu sei qualquer um que não tivesse sido orientado por algum professor foi aceito.

    Marcel Nicolau
    Acadêmico de Redes – III Semestre

  3. Tânia Mara Amazonas disse:

    Esse texto me lembrou alguns livros e filmes de Woody Allen. Ri bastante. Sei que pra você não é tão divertido e pensei que a vida não é tão complicada assim. São importantes os teus questionamentos. Mas acontece que toda opinião é válida, e todos os temas merecem atenção por mais absurdos que sejam, principalmente quando se exerce a profissão de jornalista. Tudo deve ser considerado: a Cobertura dos casos de violência envolvendo crianças e adolescentes nos jornais impressos de Santarém, os bubalinos vacinados, auto-estima dos idosos, a evasão dos hipertensos, a hermenêutica teológica (o que é isso meu Deus?), o “Não Declares que as Estrelas Estão mortas só porque o Céu está Nublado: O Olhar sobre o lazer de Adolescentes Institucionalizados em Santarém” (como será um adolescente institucionalizado?) e inclusive porque teu pai não gosta de pãozinho quente. De tudo que existe podemos aprender e aproveitar um tanto de coisas boas e úteis. Até rir. É isso que acho do teu texto e questionamentos sobre a jornada científica. Cumprem função social de grande valor. A jornada Científica do IESPES não aprovou seu trabalho, mas ele foi destacado nacionalmente no site da ANDI – Agência de Notícias dos Direitos da Infância, com sede em Brasília.

  4. Jota Ninos disse:

    Faltou um tema importante nessa feira: “A MENSTRUAÇÃO DAS BORBOLETAS AO POR-DO-SOL”. Aí o pacote estaria completo.

  5. Juliana Almeida disse:

    Sabe, não fique tão revoltada, na maioria das vezes nessas jornadas a banca avaliadora prefere dar mais importância à metodologia utilizada qualquer que seja o tema e o tipo de estudo…É importante que você cumpra aquilo que se propôs no projeto de pesquisa…Dica: não menospreze os outros estudos (como os da área da saúde que nem vc citou), eles tem sua importância mesmo que você não entenda o que eles querem dizer..fica a dica. Gostei do seu blog. Vou sempre acompanhá-lo! Sucesso!

    • Juliane Oliveira disse:

      oI Juliana….. grata pela visita…
      Não tô tirando por menos o trabalho de ninguém não. Só aproveitei a ocasião e os titulos pra aguçar o texto com um pouco de humor (sarcastico, é claro). Continue passeando por aqui.
      Bjus

  6. Meiry Rejane disse:

    Oi amiga!!!
    Concordo também com Ninos.
    Mas vai ver, a instituição tenha também um “manual de seleção”, no qual só Deus entende o que se passa por lá. Mas…Deixa pra lá!
    O fato é que seu trabaho é fantástico, os outros também tem sua importancia, mas entendo sua posição, pois de fato, o tema é de extrema importância para a população, ou será que estão todos fazendo “vistas grossas”? Hum…Sei não, viu!!!
    Imagino o quanto ficou aborrecida, mas Amei sua posição, seu texto inteligentissimo e descontraído.
    E outra… Ainda está de pé a impressão? Estou no aguardo.
    Me liga!
    Bjs!!!

  7. Manuel Dutra disse:

    Cara Juliane,
    Independente das palavras dos títulos estranhos (talvez não tão estranhos para quem estuda biologia e outras gias) a promoção menos parece uma jornada e mais uma salada “científica”. Não compreendo como justapor, sem maior cuidado, disciplinas como biologia, agropecuária, teologia, jornalismo, linguística, psicologia social (suponho!), educação física (suponho!) e… o que mais? Repito: sem maior cuidado!
    Aliás, relativo a que disciplina é o trabalho com este título criativo? “NÃO DECLARES QUE AS ESTRELAS ESTÃO MORTAS SÓ PORQUE O CÉU ESTÁ NUBLADO: O OLHAR SOBRE O LAZER DE ADOLESCENTES INSTITUCIONALIZADOS EM SANTARÉM“. O que é, mesmo, um adolescente institucionalizado?
    Haveria bancas de sábios suficientes para julgar temáticas e disciplinas tão distintas num mesmo certame? Ou então, que os promotores me expliquem a fim de que eu deixe minha ignorância de lado. Ou será que, em relação ao seu trabalho, a banca julgadora ficou com medo dos donos dos jornais? Se esta foi a razão, você está de parabéns, porque jornalista que não provoca medo (no melhor e mais puro sentido) deve mudar de profissão.
    Um abraço.

    • Juliane Oliveira disse:

      Dutra

      Grata pela visita e comentário.
      Realmente ainda não tinha olhado por esse ponto ‘do medo dos donos de jornais’. Mas acho que não foi bem isso. Quem sabe o tempero ‘investigativo’ não combine com toda essa salada que eles promoveram né?

      Durante a pesquisa ouvi muitas perguntas do tipo: ‘e aí, o pessoal sabe da tua pesquisa? será que vão gostar?’. Deveriam se orgulhar de alguém está pesquisando suas publicações, porque como ‘bons’ jornalistas que são, devem manter as portas abertas ao diálogo. Mas provavelmente ficariam surpresos com o resultado da pesquisa: Das 46 reportagens avaliadas, 20 desrespeitam o ECA. A maioria das publicações identifica a criança ou o adolescente envolvido em atos infracionais ou as vítimas de violência sexual, a partir da divulgação de suas iniciais, em desacordo com o Estatuto e ferindo preceitos éticos no que diz respeito a preservação da imagem dos envolvidos em atos de violência, sendo esses personagens infanto-juvenis. Nenhuma reportagem aponta soluções para essa violência, evidenciando a falta de zelo jornalístico em apontar soluções para a problemática que faz crianças e adolescentes constantemente aparecerem nos jornais em situação de risco. A partir dos resultados da pesquisa observa-se que a mídia impressa local avaliada ainda esbarra em velhos vícios jornalísticos, alimentando um tipo de reportagem descomprometida com a mudança social e que faz da indiferença com a problemática da violência um fim em si mesmo, sem buscar soluções para a situação. O jornalismo passa a ser pautado apenas por acontecimentos e nunca pela busca de respostas para tais eventos. Outro fator preocupante é observado na pesquisa: de todo o universo avaliado, somente oito publicações citam o ECA, mas sem nenhum aprofundamento da Lei, demonstrando o pouco interesse dos impressos avaliados em tornar conhecidos os direitos e deveres de crianças e adolescentes.

      Vamos remando porque ainda tem muita coisa pela frente. Será que nos encontramos no Acre?

      Abraços

  8. Aritana Aguiar disse:

    Ju, pensa no que o Dultra postou, isso é pura verdade, vc provou que não tem medo de mostrar a realidade, e essa jornada comprovou o pavor que eles tem em retratar a verdade, expondo trabalhos que somente os alunos e pesquisadores de “gia” entendem.

    Agora pergunto, como eles querem formar excelentes jornalistas se não contribuem para isso?

    Bjos

  9. Milton Mauer disse:

    Juliane,
    de tão óbvio que julguei ser aprovado seu resumo que dei as pistas para o encaminhamento para a jornada. Seria o primeiro de jornalismo. Mas acredito que um outro olhar será lançado sobre o mesmo no próximo Intercom/Norte. Assim torço que seja. Talvez algo maior esteja reservado. Acredite.

    • Juliane Oliveira disse:

      Ow Milton, relaxa

      Ainda tenho dois meses pra te pentelhar na sala da coordenação de jornalismo do Iespes. Quem sabe no Acre, em Minas ou Bahia eu encontre meu ‘direcionamento’ profissional. Mas enquanto isso vamos tirando leite de pedra.

      Abraços

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s