Em terras jurutienses


Hoje a tarde recebi um e-mail muito legal lá das bandas de Minas me questionando sobre a vida em Juruti, o trabalho da Alcoa e outras cocitas mas. Percebi que até então não tinha comentado aqui a respeito da minha vinda pra ‘menina dos olhos’ da Alcoa: a cidade de Juruti.

Algumas das minhas considerações sobre o lugar eu coloquei no e-mail e como não sou boba e uma reunião me espera daqui a pouquinho, vou colar o e-mail aqui e aproveito pra agradecer ao Guilherme Barreto pelo contato e dizer que o blog serve pra isso mesmo: aproximar as pessoas e dá uma forcinha de vez em quando. Sucesso pra nóis!

o e-1/2:

Oi Guilherme

1º: não está tomando o meu tempo e

2º: adoro quando o blog se torna util.

Eu sou de Santarém e estou morando em Juruti devido um trabalho que vim fazer. A cidade é pequena, mas dá pra viver (e bem). Como eu sou meio bicho do mato, tô gostando. Me instalei numa ‘casa-hotel’ e todo dia tomo café com uma ‘família-hospede’ diferente. É um barato pra quem gosta de conhecer gente. Eu adoro.

O que eu posso fazer por você é indicar que encaminhe seu e-mail pra Alcoa (tem umas informações aqui)e a gente reza junto pra dá certo. Juruti fica a 5h de lancha de Santarém, mas também tem uma linha de avião (da Alcoa) que vem pra cá. Mas ainda não usei o serviço. Então o melhor mesmo é pegar a lancha. Custa 55 reais e você ainda vai curtir muito Vitor e Leo no telão (parece mentira, mas eles acham que a gente gosta). Tem lancha todo dia indo e voltando pra Juruti. Além de navio – que demora mais.

Quanto a transporte depende muito. Pernas são otimas porque é tudo pertinho. Já pensei até em comprar patins ou uma bicicleta. Onibus coletivo nao tem, só pras empresas mesmo. O jeito é taxi ou mototaxi (que num custa caro). Mas não se espante se encontrar por ai gente andando de moto sem capacete. Com o tempo a gente começa a achar estranho o uso dele.

A cultura… bom. Acho que ainda não deu pra conhecer muito não. Mas cinema, teatro, artista de rua, exposições a gente não encontra por aqui. Nem biblioteca publica. Mas tem um monte de projeto bacana pra atender a molecada e mostrar pra eles um lado mais interessante e util de se viver – quase todos apoiados pela Alcoa.

Quanto a Alcoa é o seguinte: a extração da bauxita mesmo é feita longe da cidade. Aqui fica o escritorio e o porto. A maioria dos funcionarios moram em casas e hoteis alugados exclusivamente pra empresa – o que é bem confortante. Do meu ponto de vista: a cidade ainda está passando por um processo de transformação. Foi muita mudança em pouco tempo. A população local ainda está se acostumando a ver gente de olho azul dizendo o que é melhor ou nao pra eles. E claro, com isso estão também se organizando, formando lideranças, se comprometendo com o desenvolvimento da cidade. Não que a Alcoa mande em tudo, pelo contrário. Existe um conselho onde sociedade, poder publico e empresas decidem o que pode ou não ser feito. E entre essas empresas está a Alcoa.

Espero ter auxiliado de alguma maneira.. e esse também é meu msn. Mas num tô usando ele por uns tempos. Mas você pode me encontrar por esse e-mail ou pelo blog mesmo. E se me permite. Vou postar algo sobre esse e-mail lá… com a correria do trabalho não postei nada desde que cheguei aqui.

Abraço, boa sorte e mantenha contato!

fim do e-mail

Volta pra cá agora! (me senti fazendo um filme agora!)
Amanhã vou postar aqui algumas imagens de Juruti. Tem mais um monte na fila, mas a internet anda a passos lentos pras bandas do norte.

2 comentários sobre “Em terras jurutienses

  1. Lili Panachuk disse:

    Oi Ju,

    só para dizer… tem sim uma biblioteca pública municipal, perto do Mundurukus. Final do ano passado foi reformada, está em melhores condições que antes. No entanto o acervo ainda é pequeno. Por isto Cassia (Clubinho da Tartaruga) e eu estamos reunindo acervo para que fique na cidade. o acervo da Cássia é maior e melhor que o “nosso” da Scientia, mas ainda é menos que o mínimo necessário. As comunidades rurais poucas têm livro, a não ser em uruti Velho que uma biblioteca tem acervo. Dizem algumas línguas que algumas escolas têm livros mas não disponibilizam para os estudantes. Eu mesmo não sei se isto procede.

    È isto…
    Lili Panachuk

  2. elizabeth Cecim disse:

    Juliana,adoro os comentários e a divulgação de Juruti.Os igarapé são fantasticos,continue informando ao mundo das riquezas que possuimos e não são sabidas.Juliana,estou tentanto chegar em Juruti,pois a familia de meu marido é daí e temos assuntos a resolver sobre inventario.Gostaria de ter sua ajuda urgente para me indicar hotel em Santarém,lancha para juruti e hotel.Gostaria de saber preços hoteis,lancha,mototaxi,refeição fora hotel. Me ajude e em breve quando nos conhecer-mos lhe agradecerei pessoalmente.Beth

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s